O Marketing Digital tem uma série de métricas para comprovar sua efetividade na geração de resultados para as marcas. O famoso ROI (Retorno Por Investimento), o CPL (Custo Por Lead) e as taxas de conversão são algumas das mensurações mais tradicionais do segmento. Todos esses indicadores são importantes e essenciais para o desenvolvimento de um bom trabalho. Mas de nada adianta acertar a segmentação do canal de mídia, apresentar um anúncio que vai ao encontro do perfil do público impactado se, na hora de fechar a compra, o usuário enfrenta diversos obstáculos, como dificuldades para acessar o carrinho, preencher os dados e concluir o objetivo.

Neste ano, todos os profissionais do setor ouviram muito falar da importância de criar um ambiente convidativo e acolhedor para os usuários. Mesmo assim, a UX, como também é conhecida, segue frequentemente negligenciada em sites, aplicativos e campanhas. São jornadas extensas, caminhos complexos, carregamentos demorados e um looping infinito de informações que mais confundem do que ajudam o usuário.

Afinal, o que é a UX?

A Experiência do Usuário (User Experience) engloba todas as relações do consumidor com um produto, marca ou aplicativo, desde o contato inicial até a conversão. Apesar de muita gente acreditar que a UX acontece apenas no meio digital, ela está em todo lugar, seja no universo on ou off-line. Isso porque a experiência passa existir a partir do momento que qualquer pessoa entra em contato com qualquer tipo de produto, sistema ou serviço. O que varia é o sentimento desse cliente, que poderá ser positivo ou negativo, de acordo com os obstáculos que ele irá enfrentar (ou não) para concluir seu objetivo (compra, contato, busca por informações etc) .

A UX é responsável por aumentar a satisfação do usuário, sendo um equilíbrio entre alguns aspectos práticos e teóricos, como usabilidade, utilidade, valor, credibilidade e acessibilidade. Por conta disso, envolve uma série de fatores como elementos de design, arquitetura da informação, prototipação, pesquisa e observação de todas as etapas do cliente junto à marca, produto ou serviço. É basicamente a porta de entrada para um relacionamento duradouro com determinado item ou organização.

Designers de UX estudam o comportamento humano e o serviço oferecido para encontrar meios de melhorar a satisfação e a lealdade dos clientes. Essa percepção envolve diversos pilares como a busca de melhores alternativas para que o usuário consiga realizar o serviço que deseja, rapidez e facilidade para concluir esse objetivo e o quão prazeroso é para o indivíduo utilizar aquele produto. Quanto melhor for a experiência do usuário desde o primeiro contato, maior será a satisfação do cliente e, mais provável, sua fidelização.

Por que ela é tão importante?

A experiência do usuário é toda pautada no relacionamento, sobre como identificar e projetar esse ponto de contato de maneira positiva. Por isso, se você está no mercado tentando atrair clientes, a UX é mais do que essencial.

Você alguma vez tentou fechar negócio no seu próprio site ou aplicativo? Como foi essa experiência? Precisou digitar seus dados mais de uma vez ou dar zoom em alguma tela para ler um texto? Se você respondeu sim para essas questões, há pontos que poderiam melhorar sua taxa de aproveitamento e consequentemente alavancar negócios. Um estudo realizado pela Forrester mostrou que uma interface de usuário bem projetada pode aumentar a taxa de conversão em até 200%, enquanto um melhor design de UX pode elevar esses resultados em até 400%.

Criando uma UX vencedora

A melhor maneira de criar uma boa experiência do usuário é pesquisar e testar muito. Todas as suas peças, aplicativos ou sites precisam ser construídos para essas pessoas. Mas atenção: você precisa saber quem são elas e o que elas buscam. Seja rápido para antecipar essas necessidades e entregá-las. À parte disso, seja simples e elimine passos. Pense no objetivo do seu site, aplicativo ou peça, e tente reduzir o número de etapas que um usuário deve seguir para alcançá-lo. Por fim, não se esqueça do tempo de carregamento. De acordo com estudos do Google, 40% dos compradores aguardam no máximo três segundos antes de abandonar um site de compras.

Profissão do futuro

A UX será tão importante em 2019 que, segundo levantamento das consultorias Robert Half, Talenses, Page Personnel e da Catho, aparece como uma das profissões com maior tendência de crescimento no próximo ano. O profissional especializado decide como vai ser a experiência de uso de uma interface. Ele é responsável por elaborar mapas de navegação, montar testes de usabilidade, desenvolver protótipos e  monitorar o fluxo do usuário e de processos. Vai estar em alta no mercado em decorrência do aumento da necessidade das empresas cuidarem da experiência que seus usuários têm com seus produtos e serviços.

No meio de tanta competitividade, não adianta muito ganhar o leilão para um clique que leve à sua plataforma digital se isso não tiver um final positivo para você e para o consumidor do outro lado da tela. Uma boa UX encanta os clientes e os transforma em verdadeiros embaixadores da marca, tornando-os mais propensos a espalhar opiniões positivas sobre serviços e produtos. Lembre-se: o sucesso do seu negócio depende de uma experiência agradável do usuário.