Não precisa ser amante de esportes e tampouco dos Jogos Olímpicos para ter ouvido falar muito nos últimos anos do velocista jamaicano Usain Bolt. Acumulando vários recordes, o atleta é uma máquina da velocidade. O que o esportista faz nas pistas se assemelha bastante ao que promete o 5G, próxima geração de conexão móvel sem fio. Tanto um quanto o outro começaram a ganhar destaque na mídia há alguns anos. Mas enquanto o corredor já até anunciou sua aposentadoria, a nova tecnologia móvel mal começou a alçar voo.

A rede, usada para troca de dados, vai substituir os já conhecidos 3G e 4G em todo mundo. A quinta geração promete uma velocidade muito maior em dispositivos como tablets e smartphones, podendo alcançar cerca de 10 Gbps (gigabits por segundo). Além disso, pode permitir que até 1 mi de dispositivos estejam conectados a cada quilômetro quadrado.

De acordo com as previsões da Deloitte, o 5G é a tendência mais importante dentro da indústria de telecomunicações para os próximos cinco anos. Ainda em testes em diversos lugares, e promovendo uma disputa acirrada entre Estados Unidos e China, o 5G deve proporcionar toda a estrutura necessária para que a internet das coisas (IoT) seja uma realidade em todo o globo.

O caminho do 5G na América Latina

Se no Brasil a tecnologia deve chegar somente em 2020, o Uruguai já saiu na frente nessa corrida. No início de abril, o país anunciou a implantação da primeira rede 5G da América Latina. A operadora estatal Antel instalou a rede com serviço comercial em La Barra e no município de Nueva Palmira.

A novidade vai ao encontro do levantamento da Ericsson divulgado no fim do ano passado, que mostra uma adesão tardia ao 5G na região, mas com previsões de acelerado desenvolvimento. Até 2024, serão cerca de 47.400 milhões de conexões nos países LATAM.

Mas o que isso tudo tem a ver com marketing?

À medida que nos aproximamos da era da alta velocidade com o 5G, o aprimoramento da conectividade possibilita o surgimento de muitos recursos criativos. Também ajuda a desenvolver ferramentas em franca expansão, como os vídeos. Pesquisas realizadas pela eMarketer, por exemplo, mostram que os gastos com esse formato de publicidade vão crescer 62,1% até 2023.

Dentro desse universo, a realidade estendida (XR) será uma das estrelas da próxima década. O conceito abrange as realidades 3D, 360, aumentada (AR), virtual (VR) e mista (MR), funcionando como uma via de mão dupla para conectar informações do mundo real à web e da web ao mundo real. Na prática, essa novidade é capaz de expandir a experiência digital, hoje confinada a uma tela 2D, para um outro patamar, com interações mais ricas, imersivas e envolventes em compras virtuais, streaming ao vivo em vários canais e experiências de usuário personalizadas.

A chegada do 5G vai permitir transformar quase qualquer coisa em uma plataforma de publicidade. Objetos, como latas de refrigerante ou garrafas de cerveja, e até motos e carros estarão interconectados permitindo a criação de experiências sem precedentes. A imaginação será o limite para os profissionais de marketing da próxima década. A revolução promovida pela quinta onda de conexão móvel vai exigir cada vez mais equipes criativas, com capacidade para desenvolver usos diferenciados e efetivos da ferramenta.

Interação em tempo real

O 5G também vai oferecer o benefício da comunicação quase instantânea, permitindo que os usuários enviem imagens e arquivos de vídeo tão facilmente quanto texto. Ele vai possibilitar o clique direto na imagem dentro de mensagens e outras inovações proporcionadas pela rápida troca de dados, oferecendo experiências mais imersivas em dispositivos móveis.

Além disso, o 5G vai estimular ainda mais os consumidores a realizar transações em seus smartphones, em vez de PCs e notebooks. As ações das marcas e produtos online vão poder envolver experiências como uma noção muito melhor da textura do tecido de uma roupa ou até a experimentação propriamente dita da peça.

De olho no consumidor

A principal mudança que a chegada da tecnologia 5G traz, no entanto, está ligada ao comportamento do consumidor. O aumento do uso de dados vai impactar muito o modo como as pessoas utilizam a internet. O multitelas vai ganhar um novo significado, com muito mais aparelhos conectados ao mesmo tempo, sejam eles móveis ou não. Lembre-se que com o avanço da rapidez de troca de informações, a internet das coisas vai ganhar fôlego e equipamentos até então inanimados vão ganhar vida.

A diminuição da latência para processar dados e transmitir sinais será primordial para o avanço do marketing digital. Os downloads mais rápidos não apenas possibilitam uma definição mais alta e um vídeo móvel mais confiável, mas também permitem um carregamento de páginas e anúncios veloz, além de uma troca de informações em tempo real.

Essa rapidez permite encontrar o consumidor ainda de maneira mais assertiva em sua jornada de compra, antevendo sua necessidade e entregando uma resposta em microssegundos. Não importa quais ferramentas tecnológicas você tenha à disposição, precisa continuar garantindo o mapeamento do seu cliente, sabendo onde ele está e como ele age durante toda a sua jornada. Algo que pode fazer toda a diferença na hora de prender a atenção do usuário ou mesmo na conversão de uma compra.

Carregamento mais rápido, mais possibilidades

A chegada do 5G também vai fazer com que as empresas revisem suas estratégias de criação e entrega de conteúdo. De acordo com a pesquisa “The State of Mobile 2019”, realizada pelo App Annie, os downloads de apps excederam os 194 bilhões em 2018, um crescimento de 35% em comparação com 2016. O aumento exponencial é porque essas versões baixadas no celular são, quase sempre, mais rápidas para funcionar do que os websites. Além disso, possibilitam uma ampla e infinita gama de interação o usuário.

Com a entrada do 5G, será possível transferir para os portais a rapidez de carregamento, distribuindo entre os aplicativos e as páginas online as informações e experiências dos consumidores.

Prepare as suas vendas para a revolução 5G

Além de otimizar as páginas do seu e-commerce para um carregamento mais ágil, o foco para aumentar a conversão de vendas com a tecnologia 5G precisa estar na qualidade da navegação. Muito se fala em design responsivo, mas de nada adianta ter um layout que se ajusta às diferentes telas, sem a oferta de uma experiência positiva. Lembre-se dos ensinamentos do UX e UI (que você já leu aqui no blog). A sua prioridade deve ser conduzir a jornada de compra dos clientes, facilitando a busca por produtos ou oferecendo filtros e menus direcionados.

Com a expansão dos devices via 5G, é preciso pensar também nas possibilidades de personalização de experiências de compra em diferentes dispositivos (celular, televisão, geladeira, computador, carro etc) e um check-out que facilite ao máximo o pagamento. Isso apenas para citar algumas das transformações que seu e-commerce deve passar nos próximos anos.

A tecnologia 5G ainda está em seus primeiros passos e vai revolucionar o modo como interagimos com os outros e com o meio. No marketing especificamente, vai exigir novas estratégias e uma visão assertiva para não se deixar levar pelo mundo de oportunidades. Se bem aproveitada, a onda 5G pode, e vai, gerar mais oportunidades de vendas e maior interação com o público. E esse é só o começo!