Com o fim do ano se aproximando, o varejo já está a todo vapor preparando suas ações para algumas das datas mais esperadas do comércio. A primeira delas é a Black Friday. Marcada para o dia 23 de novembro, a maior liquidação do ano promete aquecer as vendas: 80% dos brasileiros devem comprar algum produto no período, movimentando aproximadamente R$ 2,4 bi – um crescimento de 15% em relação ao ano passado.

Para Pedro Eugênio, CEO da Eugen.Digital e idealizador da Black Friday no Brasil, 2018 fará com que a data bata recordes de venda. “Nunca tivemos tantas pessoas comprando e pesquisando online”, afirmou durante palestra no ExpoDigitalks, evento com foco no mercado digital, realizado na última semana, em São Paulo.  Participando do debate ao lado dele e também na companhia de Denis Casita, da Performaweb, reforcei ainda mais minhas crenças de que o Marketing Digital é um dos melhores caminhos para aumentar as vendas do varejo durante a data e também para fazer com que elas perdurem nos demais meses do ano.

Pensando nisso, separei algumas dicas baseadas no que discutimos no encontro para você apostar suas fichas, aumentando a eficácia de seu marketing digital. Confira:

1)     Saiba com quem você está falando

A Black Friday traz uma excelente oportunidade para conhecer e fidelizar o consumidor. Também permite ao varejista conquistar novos clientes, além de ajudar a recapturar e reter leads anteriores. Aqui aparece o poder da inteligência de dados. Antes de qualquer planejamento sobre banners, landing pages, e-mails marketings e outras maneiras de impactar o público, o varejista precisa entender quem são essas pessoas. Ou seja, quais são as audiências que pode trabalhar. Com os públicos mapeados fica muito mais fácil desenvolver formas criativas e eficientes de impactá-los.

2)     Foque no longo prazo

De acordo com dados apresentados pelo idealizador da Black Friday, 60% dos consumidores que compraram na data voltaram a comprar no Natal. Por isso, o foco das ações de marketing digital precisa estar direcionado para a segunda venda. Pense comigo: se alguém já visitou o seu e-commerce, viu suas peças e abandonou um carrinho, essa pessoa está muito mais próxima do momento de compra do que alguém que nunca ouviu falar da sua marca. Além disso, se ela teve uma experiência positiva de compra, as chances de que ela retorne em um segundo momento são infinitamente maiores. Não dá para desperdiçar o poder de efetivação de vendas em longo prazo.

São esses dados que vão nos ajudar a entender quais canais ou ofertas trazem os clientes mais fiéis que, consequentemente, terão um Lifetime Value (ltv) maior. Para ultrapassar esse desafio, mais do que entender sobre as melhores estratégias de mídia, é essencial a expertise em modelagem de dados, além de saber qual o “stack” de tecnologia necessário para viabilizar essas análises.

3)     Entenda a Black Friday como parte da estratégia

Ainda que ela seja muito positiva para o balanço das companhias, a Black Friday não pode ser vista como a salvação para os números do ano ou para fazer um milagre na empresa. Mas, se tratada como uma parte importante da estratégia anual de determinada marca, pode trazer um grande retorno que irá se manter e reverberar por outros meses. Não adianta apostar todas as fichas somente nas últimas horas ou na semana da liquidação, quando os custos por entrega de mídia aumentam consideravelmente. A construção de uma estratégia efetiva de marketing para a Black Friday passa por diferentes momentos e por um caminho no qual não é possível pular etapas.

Anotou essas dicas? Então, comece agora mesmo a desenhar sua estratégia para a Black Friday. E, se precisar de ajuda, já sabe! Conte com a expertise da NewBlue. Até mais!